fbpx

A Urgência do Avivamento

Perícope:Isaías 44.3-5 – ARC

3 “Porque derramarei água sobre o sedento e rios, sobre a terra seca; derramarei o meu Espírito sobre a tua posteridade e a minha bênção, sobre os teus descendentes. 4 E brotarão entre a erva, como salgueiros junto aos ribeiros das águas. 5 Este dirá: Eu sou do SENHOR; e aquele se chamará do nome de Jacó; e aquele outro escreverá com a mão: Eu sou do SENHOR; e por sobrenome tomará o nome de Israel”. (Isaías 44.3-5)

COMENTÁRIO

INTRODUÇÃO

Quando se evoca um tópico de tamanha grandeza–“A Urgência do Avivamento” -, temos tão somente que glorificar a Deus pela sensibilidade dos que tematizaram essa EBOM epor mais pleonástica que esta declaração pareça ser, ela é autêntica. Aquiescemos plenamente com sua urgência antes que se torne emergência, se é que já não se tornou!Se entendermos que emergência é uma ameaça para o equilíbrio hodierno da igreja, enquanto a urgência é uma ameaça em um futuro próximo, que pode vir a se tornar uma emergência se não for solucionada. Portanto, justifica-se toda ação iminente, por parte de nossos líderes eclesiásticos, para coibir esta crise que se instalou em nossa igreja.

  1. O QUE É AVIVAMENTO NA BÍBLIA

É a presença do Espírito Santo na vida do cristão, que o fortalece diariamente. Isso significa que não há vida cristã, ministério, crescimento ou avivamento sem a presença dEle!

  1. O significado bíblico do termo “Avivamento”no Antigo Testamento

O verbo hebraico HYH (avivar) tem o significado primário de “manter vivo“. Porém, “avivar” não significa somente manter vivo, mas também purificar, corrigir e ter misericórdia.Um exemplo está na oração do profeta Habacuque: “Ouvi, SENHOR, a tua palavra e temi; aviva (HYH), ó SENHOR, a tua obra no meio dos anos, no meio dos anos a notifica; na ira lembra-te da misericórdia” (Hc 3.2). Habacuque sabia que o povo de Deus havia pecado, e, consequentemente, seria submetido ao juízo divino. Nestas circunstâncias, pede o avivamento.

Hc 1.2 “Até quando, SENHOR, clamarei eu, e tu não me escutarás? Gritarei: Violência! E não salvarás?

Hc 1.3 Por que razão me fazes ver a iniquidade e ver a vexação? Porque a destruição e a violência estão diante de mim; há também quem suscite a contenda e o litígio.

Hc 1.4 Por esta causa, a lei se afrouxa, e a sentença nunca sai; porque o ímpio cerca o justo, e sai o juízo pervertido”.

  1. Habacuque profetizou a Judá entre a derrota dos assírios, em Nínive, e a invasão de Jerusalém pelos babilônios (605-597 a.C.);
  2. O livro é um diálogo entre o profeta e Deus. Habacuque queria saber por que Deus não fazia algo a respeito da iniquidade que predominava em Judá;
  3. Deus lhe responde, então, que enviaria os babilônios para castigar a Judá;
  4. Esta resposta deixou o profeta ainda mais confuso: “Por que Deus castigaria seu povo através de uma nação mais ímpia do que ele?”;
  5. Por fim, Habacuque sucumbe e clama por um AVIVAMENTO.Hc 3.2: “Ouvi, SENHOR, a tua palavra e temi; aviva (HYH), ó SENHOR, a tua obra no meio dos anos, no meio dos anos a notifica; na ira lembra-te da misericórdia“. 
  1. O significado bíblico do termo no Novo Testamento

Encontramos no Novo Testamento grego (koinê), um conjunto de palavras que expressam o conceito básico de avivamento. Por exemplo: ‘egeíro, ‘anastáso, ‘anázoe e ‘anakaínoo. Essas palavras gregas comparam o avivamento ao reacender de uma chama que se apaga aos poucosEm 2Tm 1.6 encontramos a palavra grega αναξωπυρεω(anazopyréo), traduzida comodespertes, que significa inflamar a mente, reavivar, ser fervoroso,acender por fogo:

  1. ARC – 2Tm 1.6Por este motivo, te lembro que despertes (anazopyréo – acende o fogo, reavive, inflametua mente), o dom de Deus, que existe em ti pela imposição das minhas mãos”;
  2. NVI – 2Tm 1.6Por essa razão, torno a lembrar-lhe que mantenha viva a chama (anazopyréo),do dom de Deus que está em você mediante a imposição das minhas mãos”.

Paulo compara esse “dom” (gr. charisma), concedido a Timóteo “a uma fogueira que ele precisa manter acesa”.

Para o Profeta Isaías(44.3-5 – ARC) é semelhante a “um derramar de água sobre o sedento e rios, sobre a terra seca”.

  1. O QUE NÃO É AVIVAMENTO BÍBLICO

Acreditamos ser de grande ajuda uma abordagem, mesmo que rápida, do que não é o padrão bíblico de avivamento.

  1. Não é algo agendado pela igreja

Avivamento é obra soberana do Espírito Santo. A igreja não agenda e nem programa avivamento. A soberania de Deus, no entanto, não anula a responsabilidade humana. O avivamento jamais virá se a igreja não preparar o caminho do Senhor. O avivamento jamais acontecerá se a igreja não se humilhar. Sem obediência a Deus, jamais haverá derramamento do Espírito.

  1. Não é mudança doutrinária

Cometem engano aqueles que querem descartar a doutrina na busca do avivamento. Descartar a doutrina é dinamitar os alicerces da vida cristã. Desprezar a doutrina é querer levantar um edifício sem lançar o fundamento. Desprezar a doutrina é querer colocar um corpo de pé e em movimento sem a estrutura óssea. “Assim como o homem crê no seu coração, assim ele é” (Pv 23.7 ARA).

 

  1. Não é mudança litúrgica

Muitos dirigentes confundem avivamento com forma de culto, com liturgia animada, com coreografia e instrumental aparatoso. Louvor não é encenação. Não é mimetismo. Não é ritualismo. Não é emocionalismo. Não é apenas seguir formas pré-estabelecidas, como bater palmas, dizer aleluia, amém e levantar as mãos. Louvor não é pululância, gingos e dança. Louvor que apenas verbaliza coisas bonitas para Deus, mas não leva Deus a sério na vida é fogo estranho diante do Senhor. Hoje estamos vivendo a época dos shows evangélicos, dos show-men, dos animadores de programas religiosos, do “rock evangélico”, das músicas badaladas por um ritmo sensual. À luz destas coisas, é preciso dizer que avivamento não é mudança litúrgica, é mudança de vida. Avivamento não é histeria carnal, é choro pelo pecado. Deus não procura adoração. Ele procura adoradores.

III.POR QUE O AVIVAMENTO É URGENTE?

 

  1. Porque a Igreja Precisa ser Sarada

A semelhança de Judas irmão de Tiago, temos que urgentemente mudar (nossos – errado) nossasatitudes. Ele quando cogitava escrever uma carta acerca da “comum salvação“, lembrou-se da situação que surgira na igreja, fatoque o compeliu a escrever imediatamente outro tema, a fim de tratar o problema:“Amados, procurando eu escrever-vos com toda a diligência acerca da comum salvação, tive por necessidade escrever-vos e exortar-vos a batalhar pela fé que uma vez foi dada aos santos” (Jd 1.3).

  1. COMUM SALVAÇÃOkoinossoteria: Em vezdesenvolver um tratado soteriológico abrangenteaos judeuse à igreja, optou em escrever apenas acerca de um aspecto dessa SALVAÇÃO“batalhar pela fé”(epagonizomaipistis);
  2. Epagonizomai: lutar, contender do ponto de vista positivo;
  3. Pistis: convicção, confiança e fervor da verdade divina revelado na Palavra de Deus.

 

  1. A Igreja precisa sair da passividade e lutar contra as heresias

Haviam se infiltrado na igreja homens ímpios ensinando heresias e Judas conclama os irmãos a lutaremcontra eles: “…e exortar-vos abatalhar pela fé que uma vez foi dada aos santos”(Jd 1.3b).Judas faz um apelo em favor da preservação da fé, “a fé que uma vez por todas foi entregue aos santos“, isto é, todo o corpo de doutrina cristã que deve ser defendido por todos nós. É impossível um avivamento em meio a tantas falsas doutrinas.

Três acusações são feitas contra esses homens: “Porque se introduziram alguns, que já antes estavam escritos para este mesmo juízo, homens ímpios, que convertem em dissolução a graça de Deus e negam a Deus, único dominador e Senhor nosso, Jesus Cristo” (Jd 1.4)

  1. Primeiro, eram homens ímpiosασεβης, (asebes): destituído de temor de Deus; desumano, insensível; pessoa que não tem piedade, que age cruelmente; indivíduo indiferente, intolerável, que pratica barbaridades;
  2. Em segundo lugar, eram imorais “… que convertem em dissolução a graça de Deus…”. A palavra dissolução na língua em que o Espírito Santo inspirou é ασελγεια, pronuncia-se “aselgeia” e significa luxúria desenfreada, licenciosidade, lascívia, libertinagem, caráter ultrajante. Como resultado, ao transformar a graça de nosso Deus em tudoisso, é congelar a noiva de Cristo e arrastá-la para o inferno;
  3. Em terceiro lugar, eram dominados por um espírito de rebeldia contra a autoridade Divina “… e negam (arneomai:desconsiderar(am), repudiam, não aceitam, rejeitam), a Deus (Theos), único Dominador(Soberano – despotes, um mestre absoluto), e Senhor(Kyrios – senhor de escravos). Uma igreja onde Jesus Cristo é negado como Deus, Dominador, Senhor e Mestre precisa de um“Avivamento URGENTÍSSIMO”!

 

Conclusão

Obreiros e Membros da Igreja Assembleia de Deus Ipiranga conclamo-vos a envidar esforços para protegermosnossos irmãos de fé, ocupando-nosna doutrinação enão medindo esforços para contrapormo-nos aos ensinos contrários à Palavra de Deus. É da nossa competência a recomendação paulina: “Olhai, pois, por vós e por todo o rebanho sobre que o Espírito Santo vos constituiu bispos, para apascentardes a igreja de Deus, que ele resgatou com seu próprio sangue”. (At 20.28)

CONSTITUIU BISPOS:tithemiepiskopos:Vos estabeleceu como supervisores; Vosencarregou de supervisionar;Vos colocou como guardiões da igreja de Cristo.

Pr. Vicente Paula Leite

 

Referências Bibliográficas

BÍBLIA DE ESTUDO PENTECOSTAL. Rio de Janeiro: CPAD, 2005.

COMENTÁRIO BÍBLICO MOODY.  Editado por Charles F. Pfeiffer e Everett F. Harrison.  Tradução de Yolanda M. Krievin.  São Paulo: IBR, 1985.  5 v.

ENCICLOPÉDIA DE BÍBLIA, TEOLOGIA E FILOSOFIA. Organizada por R.N. Champlin, Ph.D. e J.M. Bentes. 3. Ed. São Paulo: Candeia. 1995. 6 v. Il.

TILLICH,Paul. Teologia Sistemática. Tradução: Getúlio Bertelli.Editora Sinodal e Edições Paulinas, 2ª Ed., São Leopoldo – RS e São Paulo – SP, 1987.

VINE, W. E.; UNGER, Merrel F.; WHITE, William Jr. Dicionário VINE: significado exegético e expositivo.  Rio de Janeiro: CPAD, 2002.